27 de novembro de 2008

Gratinado de Polvo e Camarões

Aqui fica a receita tal e qual como a fiz mas aconselho que utilizarem maior quantidade de polvo visto que depois de cozinhado ele encolhe imenso e apesar de eu ter feito o prato para 3 pessoas que comem pouco penso que não chegaria para 2 pessoas que comam bem. Para além disso os camarões tb encolhem...

Gratinado de Polvo e Camarões

- 400 gr polvo congelado
- 250 gr miolo camarão congelado
- 1 cebola
- 1 copo vinho tinto
- 1/2 copo vinho branco
- sal, azeite e pimenta q.b.
- 3 dentes de alho grandes

Descongelar previamente o polvo e os camarões. Colocar uma panela grande com água a ferver. Entretanto retirar a pele ao polvo (ver post anterior) e parti-lo em pedaços. Antes de o colocar na panela, suar o polvo da seguinte maneira:
Colocar os pedaços numa frigideira e ir retirando a água que este deita. Continuar este processo até que deixe de deitar água. (Nota - este molho que o polvo vai largando pode ser aproveitado para fazer um arroz para acompanhar).
Colocar a cebola descascada, o polvo e os vinhos na panela com água a ferver. (mais tarde lembrei-me que uma folha de louro deve ficar bem na água da cozedura). Não colocar sal porque senão o polvo fica rijo.
Deixar o polvo cozinhar até a cebola estar cozida (para verificar se o polvo está tenro basta espetar-lhe um garfo). Não contabilizei o tempo da cozedura mas penso que terá levado cerca de 40 min.
Entretanto ir preparando um pirex e picar os dentes de alho. Eu coloquei os camarões directamente no pirex mas mais tarde arrependi-me porque largaram água e, em vez de gratinarem, cozeram. Sugiro que experimentem fazer aos camarões o mesmo processo de retirar a água que se fez ao polvo antes de ir cozer.
Colocar no pirex um pouco de azeite, os camarões, o alho e o polvo. Temperar com sal grosso e pimenta a gosto. Levar ao forno a gratinar durante cerca de 15 min.
Acompanhar com arroz.

Bom apetite!

26 de novembro de 2008

Como Cozinhar Polvo

Nunca tinha cozinhado polvo e andava há que tempos com vontade de experimentar. Como a panela de pressão (tão dita como indispensável para cozinhar polvo macio) não é uma ferramenta do meu apreço andei muito tempo a adiar esta experiência. Domingo foi o dia P (Polvo).
Acontece que como nunca tinha cozinhado este tipo de bicho e em minha casa não era um prato recorrente tive que me desenrascar. Depois de uma exaustiva pesquisa naqueles que considero os melhores livros de cozinha portuguesa (Pantagruel e Mª de Lurdes Modesto) e algumas luzes vindas da Internet descobri os seguintes factos sobre cozinhar polvo:

- Antes de cozinhar o polvo deve-se tirar a pele para que não fique "gosmento". No entanto, há quem diga que tirar a pele retira sabor ao polvo. É uma questão de escolha. No Pantagruel sugerem retirar-se a pele e colocá-la num saco de pano que se fecha e coloca na água de cozedura (tipo ramo de cheiros). Desta forma o sabor fica e a "gosma" não ;)
- Para ficar macio o polvo deve ser congelado durante 2/3 dias antes de ser cozinhado. Isto quebra as nervuras e torna o polvo mais tenro. Em alternativa deve-se bater bem o polvo com um martlo de cozinha (no Pantagruel usam mesmo a descrição "dar uma sova ao polvo". O que vale é que o bicho já está morto, coitadinho...)
- Também para amaciar a carne, junta-se meio copo de vinho branco (ou vinagre se preferirem) à água da cozedura.
- Mais uma forma para que o polvo não fique rijo (uff!) é, antes da cozedura, suar o polvo da seguinte maneira:
Colocar os pedaços numa frigideira e ir retirando a água que este deita. Continuar este processo até que deixe de deitar água.
- Outro truque é não juntar sal à água da cozedura porque senão o polvo não coze (esta é uma dica que já tinha ouvido também para cozer grão).
- Para saber quando o polvo está cozido, juntar uma cebola inteira na panela de cozedura do polvo. Quando a cebola estiver cozida o polvo também estará.

Usei todas estas técnicas na minha experiência e ainda adicionei um copo de vinho tinto, pormenor que me foi indicado por um familiar que é especialista em polvo e que, para dizer a verdade já não me lembro o que ele disse que isto fazia ao polvo.

Segue a receita que fiz no próximo post.

24 de novembro de 2008

Triângulos de Massa Filo com Petits Légumes

Esta é uma receita que aprendi num curso de cozinha que fiz no restaurante Os Tibetanos. Devo dizer que tudo o que aprendi lá era delicioso, tal como todos os pratos que eles servem. É o restaurante vegetariano com mais qualidade que conheço.
Esta receita tem um nome muito rocócó mas no fundo são chamuças de legumes ;) Tirei fotos mas ainda não descarreguei para o pc. Depois acrescento.

Triângulos de Massa Filo com Petits Légumes

- 1 embalagem massa filo
- 1 cenoura
- 1 alho francês pequeno
- 1 embalagem rebentos soja
- 1 c. sopa caril em pó
- gengibre fresco
- bambu (opcional. Eu não tinha, coloquei uns cogumelos compridos que tinha lá a sobrar)
- 1 c. chá molho de soja
- azeite
- sementes de papoila (para enfeitar)

Cortar o alho francês em tiras diagonais e a cenoura em pequenos palitos (aprox. 3 x 0,5 cm). Deitar só um pouco de azeite numa frigideira e saltear primeiro o alho francês e só depois as cenouras. À parte saltear os rebentos de soja e os bambus (neste caso os cogumelos). Todos os legumes devem ficar rijinhos, cuidado para que não cozinhem demais. (Nota: se os cogumelos forem dos que largam água, retirá-la antes de fazer os pastéis senão vão ensopar a massa). Misturar tudo e adicionar um pouco de molho de soja. Colocar mesmo muito pouco senão fica só a saber a molho de soja.
Ralar o gengibre e adicioná-lo aos legumes. Adicionar também o caril. Reservar enquanto se prepara a massa.
Cortar a massa filo em 4 partes no sentido da largura. Devem resultar tiras com proporção aproximada de 1 x 4. Pincelar 2/3 da massa com azeite. Na zona que não tem azeite colocar um pouco de recheio. Pegar em 2 folhas de massa e ir enrolando de maneira a formar um triângulo (ver imagem). Repetir este processo até acabarem as folhas.

Colocar num tabuleiro de ir ao forno forrado com papel vegetal. Pincelar os triângulos com azeite e enfeitar com sementes de papoila. Levar ao forno pré-aquecido 20 min a 180º.

Bom apetite!

Caril de Goa e Lassi de Manga

No outro dia comprei numa loja uma mistura já feita de caril de Goa. Havia dois tipos, picante e normal. Comprei o normal e adivinhem... É picantíssimo! Tive que adicionar uma lata de leite de côco (que não fazia parte da receita que eles lá davam) para suavizar a coisa senão ninguém conseguia comer o caril. Aqui fica a receita como eu a fiz. As quantidades do caril e do côco ralado não sei de cor porque eram as que vinham no pacote, mas vou tentar aproximar.

Para acompanhar fiz uma espécie de lassi de manga. O lassi é uma bebida à base de iogurte que é muito boa para companhar caril pois corta o picante. Bem melhor do que litros e litros de água ;)


Caril de Goa
(para 4 a 5 pessoas)

- 1 Kg de frango (ou peixe, camarões, borrego, etc)
- 2 c. chá de sal grosso
- 150 gr côco ralado
- 3 c. sopa caril em pó
- coentros frescos
- gengibre fresco
- 2 cebolas médias
- 7 c. sopa óleo (usei de amendoim)
- 7 dl água quente
- 1 frasco leite côco

Temperar o frango com 2 c. chá de sal.
Picar a cebola e refogar no óleo durante 20 min. Juntar a água quente, o côco ralado e o caril e triturar tudo com a varinha mágica. Juntar o gengibre ralado e os coentros bem picadinhos.
Adicionar o frango e cozinhar durante 30 min. Servir com arroz branco.

Lassi de Manga
(para 1 pessoa)

- 1 embalagem polpa manga congelada (aprox. 100 gr)
- 1 iogurte líquido Agros biológico natural açucarado

Cortar a polpa de manga congelada, juntar o iogurte e triturar com a varinha mágica.

20 de novembro de 2008

Massa com camarões e molho de queijo fresco

Hoje tinha uns queijinhos frescos e metade de uma lata de tomate em pedaços a sobrar no frigorífico e daí surgiu esta receita. É muito rápida de fazer, levei menos de meia hora, indicada para estes dias em que chegamos a casa e só queremos comer qualquer coisa boa e depressa ;)

Massa com camarões e molho de queijo fresco
(para 2 pessoas)


- massa (usei uma que parecem uns boomerangues mas qualquer uma serve)
- 200 gr miolo camarão
- 3 queijinhos frescos
- 1/2 lata de tomate em pedaços
- 1/2 cebola
- 3 dentes alho
- azeitonas pretas em pedaços
- 1 folha louro
- piri-piri ou 1 malagueta
- orégãos e mangericão em pó
- sal e pimenta
- vinho branco

Colocar ao lume uma panela com água, sal, um pouco de vinho branco e um dente de alho esmagado. Esta água irá servir para cozer a massa. Entretanto ir preparando o refogado para os camarões.
Picar a cebola e os restantes alhos e refogar em azeite. Quando a cebola estiver translúcida adicionar bastante vinho branco, o tomate e a folha de louro e deixar cozinhar em lume brando. Temperar com sal, pimenta e piri-piri (ou colocar a malagueta).
Passar os queijinhos frescos por água, escorrê-los e esmagá-los juntamente com os orégãos e o mangericão em pó.
Entretanto a água já deve estar a ferver, colocar a massa a cozinhar.
Retirar do refogado o louro (e a malagueta, caso tenham colocado) e colocar os camarões. Quando os camarões estiverem opacos (2/3 min) colocar o queijo fresco e misturar tudo muito bem.
Adicionar a massa cozida e as azeitonas pretas e servir bem quentinho.

Bom apetite!

Nota - Se tiverem camarões com casca, cozam-nos com a folha de louro e o piri-piri (ou a malagueta) e depois de cozidos descasquem-nos. Coloquem o miolo no refogado e esmagem as cascas e as cabeças com a varinha mágica. Depois de coada, esta mistura pode ser usada como molho para a massa.

17 de novembro de 2008

Atum Grelhado com 'Salsa' de Tomate e Coentros acompanhado por Mix de Batata

Parte desta receita foi retirada do livro "Jamie at Home" do Jamie Oliver. As quantidades foram a olho, sabem como é...

Atum grelhado com "salsa" de tomate e coentros
(retirado do livro "Jamie at Home")


- bifes de atum
- tomate
- cebola
- coentros
- hortelã
- limão
- azeite
- sal e pimenta

Picar bem o tomate, a cebola, os coentros a hortelã e temperar esta mistura com um pouco de raspa da casca do limão, sumo de limão, azeite, sal e pimenta.
Temperar os bifes de atum com sal e um pouco de azeite e colocá-los num grelhador ou frigideira anti-aderente bem quente. Deixar apenas 1 min de cada lado.
Servir os bifes com a "salsa" por cima.

Mix de batata

- batatas (1 média por pessoa)
- azeitonas verdes recheadas com pimento
- alcaparras
- tomate seco
- queijo parmesão

Cozer as batatas sem retirar a pele. Depois de cozidas, retirar a casca e esmagar as batatas com um garfo (não triturar na máquina porque senão ficam com uma pasta tipo pastilha elástica). Picar as azeitonas, as alcaparras e o tomate seco e juntar à batata.
Colocar esta mistura em dose individuais em papel de alumínio, ralar o queijo por cima e levar ao forno a 180º durante 20 min.
Servir a acompanhar o atum com a "salsa".

Bom apetite!

12 de agosto de 2008

Delícia de Chocolate

Esta é uma receita da Bimby mas que pode ser feita da forma tradicional. A receita está aqui. No fundo este é um bolo de chocolate que fica tipo mousse por dentro. Quando sai do forno o bolo tem este aspecto


mas depois de se cortar a primeira fatia, descobrimos o delicioso interior à la mousse de chocolate :)

Confesso que agarrei o meu homem com uma versão mini desta receita :D - os petit gateaux de chocolate dos quais aqui porei a receita proximamente. Estes são uns queques que ficam também assim líquidos por dentro e são muito rápidos de fazer.
Ele diz que não, mas eu sei que o bolinho com a bolinha de gelado a acompanhar fez furor ;)



Atenção meninos - as raparigas também ficam doidas com um homem que saiba cozinhar e esta receita não só é fácil e rápida como contém o elemento que derrete 90% das mulheres - o chocolate :)

17 de julho de 2008

Bruschettas de Atum

Fiz esta receita no outro dia ao jantar porque tinha imensa rúcula e já andava farta de comê-la em salada. Vi no site do sapo Sabores como fazer azeite de ervas, então fiz azeite de rúcula e usei-o nesta receita. Mas usar azeite normal e colocar apenas umas folhas de rúcula por cima deve ficar igualmente bom.

Bruschettas de Atum

Ingredientes:
- 2 fatias grandes de pão
- 1 lata de atum
- azeite
- azeite de rúcula (ou algumas folhas de rúcula)
- 1 dente de alho
- 1/2 cebola grande
- queijo parmesão (daquele a sério, inteiro, não é do ralado)
- 2 tomates

Torrar as fatias de pão. Entretanto fritar a cebola em rodelas numa frigideira e colocar o forno a pré-aquecer a 150º. Partir o dente de alho ao meio e raspá-lo nas fatias de pão torrado. Colocar algum azeite no pão e cobrir com as rodelas de cebola. Levar as fatias ao forno durante alguns minutos (foram enquanto fiz o azeite de rúcula). Retirar do forno, colocar o atum, algumas lascas de queijo parmesão e salpicar com azeite de rúcula (colocar apenas umas folhas de rúcula tb deve ficar bom). Acompanhar com rodelas de tomate fresco.
Na foto podem ver o resultado final. A fatia que lá vêem com umas coisas brancas em cima é uma fatia de pão com uns queijinhos de cabra que vendem no supermercado que vão ao forno a gratinar, mas não são nada de especial.

16 de julho de 2008

Salmão Aromático em Papelote

Ontem foram jantar duas amigas lá a casa. Não tive tempo para estar a preparar nada nem gosto de fazer coisas muito elaboradas para não parecer que estou a fazer cerimónia, por isso qdo cheguei a casa vi o que tinha e o que se podia fazer. Tinha uns belos lombos de salmão no congelador então fui à net à procura de uma receita que pudesse fazer na Bimby (para ser mais rápido e dar menos trabalho). De qualquer maneira esta receita não precisa necessariamente de ser feita na Bimby. Basta ter um sítio onde cozer a vapor ou então podem-se levar os papelotes ao forno. Encontrei esta receita na net e fiz algumas pequenas alterações.


Salmão Aromático em Papelote

Ingredientes (4 pax):
- 4 fatias de lombo de salmão
- 1 lima
- gengibre fresco
- 4 cogumelos
- 1 alho francês
- azeite
- sal e pimenta q.b.


Corta-se os pés dos cogumelos e laminam-se. Corta-se o alho francês às rodelas. Numa taça mistura-se a raspa da casca da lima, o sumo da lima e o gengibre ralado (colocar em quantidade conforme o gosto), sal, pimenta e azeite. Misturar bem.
Numa folha de papel de alumínio coloca-se um fio de azeite, as fatias de um cogumelo e alho francês. Por cima coloca-se o lombo de salmão.
Cobrir com o molho que se fez, algumas rodelas de alho francês e o cebolinho em pedaços. Fechar a folha de alumínio formando um papelote. Repetir este processo para cada lombo de salmão.
Colocar os papelotes a cozer em vapor pré-aquecido durante 20 min (eu coloquei na varoma da Bimby, Temp. varoma, Vel. 1, 20 min. mas tinha pré-aquecido a água na bimby. Sem pré-aquecer devem ser uns 35 min.)
Ao retirar o salmão dos papelotes coloquei apenas os lombos no prato, colocando o molho que é formado numa tacinha para quem quisesse servir-se.

Acompanhei este prato com puré de batata congelado do pingo doce (já vem temperado, é só juntar leite e levar ao lume. Adoro.) ao qual juntei cenoura ralada no final da cozedura. Também sugiro juntar amêndoa ralada ao puré, fica espectacular.

Bom apetite!

Ovas Panadas

No outro dia apetecia-me um petisco ao jantar. Muitas vezes só como sopa (ainda por cima agora com a Bimby as sopas ficam sempre tão cremosas...) mas naquele dia tinha umas ovas no congelador então fui procurar receitas na net. Encontrei esta receita de ovas panadas e fiz-lhe algumas alterações. Não sei qual foi a quantidade de ovas que usei mas a receita pode ser feita independentemente da quantidade de ovas. Também não sei de que peixe eram mas eram pequeninas e vinham unidas duas a duas. Aqui vai:

Ovas Panadas

Ingredientes:
- ovas
- 1 c. sopa margarina (ou manteiga)
- 1 c. sopa sumo limão
- sal e pimenta q.b.
- água
- 1 clara de ovo (a receita original leva 1 ovo mas eu usei um resto de uma clara que lá tinha)
- 1 c. sopa de leite
- farinha q.b.
- pão ralado q.b.
- azeite ou óleo para fritar (usei azeite, era o que tinha)


Lavei as ovas, retirei-lhes as "veias" escuras e separei-as (cortei cada grupo de duas pela união). Põe-se ao lume a água com o sumo de limão, a margarina, o sal e a pimenta. Qdo estiver a ferver juntam-se as ovas e retiram-se ao fim de 2 min.
Mistura-se o leite com a clara de ovo. No pão ralado pode-se juntar alho em pó (ou um dente de alho se fizerem mesmo o pão ralado), uns grãos de sal grosso e coentros picados, fica óptimo. Passam-se as ovas pela farinha, pela mistura de ovo e pelo pão ralado e fritam-se no azeite/óleo.
Ficaram bem estaladiças e souberam muito bem :)

5 de julho de 2008

Pasta de Azeitonas Pretas e Pasta de Azeitonas Verdes

Eu sou uma mulher de salgados. Como doces, mas enjoo facilmente. Agora de um chouricinho ou um croquete nunca me farto ;) Fiz uma pasta de azeitonas pretas e outra de verdes. A preta levou alho e azeite, só. A verde também mas foi requintada com gengibre fresco moído. "Trés bon"!

(Mais uma vez não tenho foto da receita. A imagem ilustrativa pertence a umas pastas que também são deliciosas, mas acreditem que estas receitas também ficam bem boas, só que totalmente diferentes. Se alguém souber como fazer as rceitas deles por favor diga-me ;))


Pasta de Azeitonas Pretas

Ingredientes:
- 1 frasco de azeitonas pretas sem caroço
- 1 dente de alho grande
- azeite q.b.

Retirar o centro ao alho (dizem que é essa parte que deixa o mau-cheiro, mas ainda não consegui confirmar isso). Colocar todos os ingredientes na picadora até ficar em pasta (nunca consegui que ficasse realmente em pasta, fica sempre em pedacinhos mas fica bom). Se gostarem, também se pode juntar orégãos à mistura. Servir com tostinhas.

Pasta de Azeitonas Verdes

Ingredientes:
- 1 frasco de azeitonas verdes sem caroço
- 1 dente de alho
- azeite
- gengibre fresco q.b. (basta um bocadinho)

Fazer o mesmo que na receita anterior, juntando o gengibre ralado. Também já fiz juntando um bocadinho de sumo de laranja e fica espectacular pois o doce do sumo corta a acidez das azeitonas.

Brigadeiros

A facilidade. Colocar chocolate em barra na Bimby. Triturar 10s. Adicionar uma lata de leite condensado. Deixar a Bimby a cozinhar aquilo durante 10 min. Deixar arrefecer, fazer bolinhas e levar ao frigorífico. Nunca tinha feito brigadeiros. Adorei. Claro que tive que inventar qualquer coisa - à falta de cacau para pôr à volta dos brigadeiros triturei chocapics (sim, aqueles cereais de pequeno-almoço). Ficou muito bom. Guardei dois no frigorífico e 2 semanas depois comi-os e estavam ainda melhores! De qualquer forma um amigo meu deixou a sugestão de que precisavam de cacau. Aqui fica.

Brigadeiros (receita da Bimby ligeiramente alterada)

Ingredientes:
- 1 lata pequena de leite condensado;
- 75 gr. de chocolate de culinária;
- cereais chocapic desfeitos (tb se pode usar granulado ou cacau em pó, é só dar asas à imaginação.)

Preparação:
Pulverizar o chocolate na Bimby (usar o Turbo 3 ou 4 vezes). Adicionar o leite condensado e programar 12 min. Temp. Varoma, Vel. 4.
Retirar para um recipiente untado com manteiga (só para não colar) e deixar arrefecer. Fazer bolinhas, envolver no chocapic desfeito e colocar em forminhas de papel. Guardar no frigorífico até à hora de servir.

(Não tirei foto por isso a imagem ilustrativa pertence ao site http://www.manolo.com.br/foto_padaria/brigadeiro.jpg)

Gelatina


De ananás e de pacote, daquelas que todos nós sabemos fazer. Foi a minha solução rápida para ter qualquer coisa feita de véspera (lembram-se do problema com a lista de compras? Tive que me arranjar com o que tinha em casa.) caso não conseguisse fazer tudo o que queria no próprio dia.

Não vou escrever aqui a receita (fiz o que mandavam no pacote) mas como também não tirei foto aproveito para partilhar uma foto da gelatina mais bonita que já vi. A receita pode ser encontrada no sítio onde fui buscar a foto.
Deve ser preciso muita paciência para fazer isto.


E já agora também aqui fica uma outra receita que mete gelatina e que quero experimentar brevemente: Porre de Gelatina (o nome parece agressivo mas é mesmo assim). Aparentemente é receita típica de Minas Gerais mas eu lembro-me de comer umas coisas parecidas em Castelo Branco quando era miúda. Tenho que experimentar para saber se é igual.

Arroz Doce

Eu não gosto de arroz doce. Apenas comecei a apreciar quando provei o arroz doce da Mariazinha (a minha "sogra"). A receita que ela usa (que é daquelas que são da tia do cunhado do vizinho do cão do irmão da amiga do outro...) é deliciosa e faz com que qualquer não-apreciador de arroz doce passe a sê-lo. O arroz fica recheado com o sabor da canela e muito, muito cremoso. Quase parece leite creme, mas melhor :) Fiz o arroz doce na Bimby. Eles indicam uma receita que é muito parecida com a da Marizinha, mas é claro que eu alterei algumas coisas: usei açúcar amarelo, 100 gr. de arroz e menos uma gema de ovo. Conclusão: O arroz doce ficou demasiado líquido mas delicioso. Lição a tirar - alterar receitas da Bimby requer prática. Porque aquilo tem uma forma específica de trabalhar e a temperatura não ultrapassa os 100ºC, logo vai requerer algum hábito. Devia ter usado o arroz todo. Aqui fica a receita que usei. Em breve colocarei a receita da Mariazinha (que na minha opinião, apesar de dar muito mais trabalho, sai bem melhor):

Arroz Doce (receita do livro da Bimby):

Ingredientes:
- 1 l leite gordo;
- 130 gr. arroz carolino;
- 1 casca limão;
- 1 pau de canela;
- 1 pitada de sal;
- 150 gr. de açúcar;
- 4 gemas de ovo.

Preparação:
Coloque no copo todos os ingredientes, excepto o açúcar e os ovos. Programe 50 min., Temp. 90º, Vel. Colher Inversa. Quando terminar, junte o açúcar e deite as gemas em fio previamente desfeitas num pouco de leite e programe 10 min. à mesma temperatura e velocidade. Deite num recipiente grande ou em taças pequenas e quando estiver frio polvilhe com canela, podendo polvilhar com açúcar e queimar com um ferro.

Bom apetite!

(Infelizmente ão tirei foto... A imagem ilustrativa é cortesia do site http://www.conventodebelmonte.pt/imagens/Gastronomia/arroz-doce.jpg, que admito que ficou bem mais bonito que o meu :))

26 de junho de 2008

Petiscada 21 Junho 2008

Em modo de celebração do primeiro dia de Estio, tive o prazer de receber amigos em casa e, claro está, fazer uma data de petiscos :) Aqui fica a ementa. É só clicar nos títulos para ver a receita e respectiva apreciação:
. Arroz doce
. Bolo de Laranja
. Brigadeiros
. Gelatina
. Tarte Gulosa
. Sumo de Limão e Laranjada
. Pasta de Azeitonas Verdes e Pasta de Azeitonas Pretas
. Pasta de Salmão

Para além destes petiscos houve também à descrição uns queijinhos de Castelo Branco (um misto e outro só de ovelha). Como o convívio se prolongou até bem tarde, pela hora de jantar ainda houve direito a um belo Creme de Cenoura (feito pelo Marco, as sopas dele são sempre muito boas), Lasanha (receita da Bimby), uns croquetes e um Pão-de-Ló de Alfeizerão que uns amigos trouxeram.
Apesar de a uma altura ter pensado que talvez fosse comida a mais, o que é certo é que desapareceu tudo. Até o arroz doce líquido! :D

Bom apetite!

Bimby


Desde 3ª feira da semana passada que sou oficialmente dona de uma bimby (já estou a ver as piadas tipo "és uma bimby" a voar). Para quem não conhece esta maravilha da tecnologia e sonho de qualquer aficionado em cozinhar, veja aqui mais pormenores.

Também conhecida internacionalmente como Thermomix, a Bimby será mais um sonho de quem não sabe cozinhar ou de quem não tem jeito porque realmente aquilo faz (quase) tudo por nós. Até há quem diga que um verdadeiro mestre de cozinha se deve recusar a usar tal aparelhómetro. Mas como eu não sou mestre de cozinha e agradeço a presença de qualquer aparelho que me ajude a bater claras em castelo sem que eu tenha que estar lá a segurar na maquineta, tenho uma bimby.

19 de junho de 2008

Porquê este blog?

Sou viciada em petiscos. Segundo quem me conhece, eu só convido gente para ir lá a casa para ter uma desculpa para poder fazer petiscos. E, admito, é verdade... Só depois de me terem dito isto é que me apercebi porque é que as pessoas faziam sempre aquele ar assustado quando entravam lá em casa, ao verem a quantidade de comida disponível. E eu a dizer "Comam, comam!", "Não gostaram?". E as pessoas a tentarem ter conversas normais e eu sempre a dizer
- "Acho que os rissóis podiam ter levado um bocadinho mais de noz-moscada, não achas?"
- "Não, estão bons. A sério! Pára de falar nisso! Só pensas em comida"
E pronto... foi aí que tive que admitir que sou uma petiscoholic.
Agora que admito a minha dependência, já me podem desculpar por ser assim :)
A todos os que são como eu, dedico este blog que não será mais do que um diário das receitas que vou fazendo. E não fiquem à espera de coisas novas, inventivas e surpreendentes porque eu para inventar sou uma nódoa. Limito-me a copiar outras receitas e fazê-las ao meu gosto. Nunca consigo seguir a receita. E por isso de cada vez sai diferente. E ainda bem, não é?